terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Talento e vocação

Todo mundo tão preocupado em ter dinheiro, a ganhar dinheiro, a receber mais e mais dinheiro, que se esquece que o prazer em conciliar talento e vocação é o caminho mais simples para abastecer o cofre de satisfação, realização, qualificação.
Conseguir entender qual é a vocação tornou-se o mais difícil. Se a preocupação é a quantidade fica difícil pensar em qualidade.
Fazer com que entendam que satisfação profissional é sinônimo de sucesso e não dinheiro é tarefa árdua e somente poucos felizardos são capazes de entender e compartilhar essa alegria com o mundo.
Essa necessidade de se enquadrar dentro da normalidade em ter uma profissão rentável é o reflexo de nossa criação.
Uma parte é desestimulada desde o berço a ouvir o talento. É como se isso fosse o menos importante.
Como se isso fosse um fator dispensável da personalidade.
Como se essa alteração de valor fosse necessária para a manutenção perfeita para o funcionamento do planeta. Um requisito invisível para o perfeito equilíbrio.
Conseguir alinhar o talento mesmo ouvindo diariamente “isso não é profissão”, ou” você quer passar fome?”, torna-se, para aqueles que têm progenitores ultrapassado, a maior épico familiar. Ter coragem de enfrentar qualquer coisa, qualquer pessoa para alcançar a satisfação pessoal, alcançar o desejo, é o premio que pouquíssimos conseguirão.
A maioria, o resto, serão apenas mais uma leva de medíocres que ajudarão o mundo a funcionar. Para estes bastará um pouco de tudo.
Falta-lhes coragem de tentar mudar para alcançar a excelência. Para estes basta o consolo de que outros também são infelizes.

0 comentários:

Postar um comentário

  ©Template Blogger Writer II by Dicas Blogger.

SUBIR