segunda-feira, 14 de julho de 2008

Algo a confessar

Ele a encarou nos olhos. Escondeu as mãos dela entre as suas. E disse que tinha algo importante pra confessar.
Pela cabeça da menina passaram mil frases, milhões de gestos, e a certeza de que naquele momento ecoaria nos seus ouvidos o tão aguardado eu te amo!

Imaginou. Fantasiou. E deslumbrou o inicio do romance. Mas em pequenos segundos, o sonho do céu fantasiou-se em inferno.

O inicio dos pesadelos.

Bastou uma frase e ela perdeu-se no nada.

Perdeu-se na deficiência do afeto, aquilo que ele não poderia lhe oferecer.
Quando percebeu o olhar dele, seu jeitinho equivocado, e a tremedeira na voz, entendeu que nunca o eu te amo partiria daqueles lábios.

Aguardou a fala, e quando esta veio, não acreditou.

Gritaria!

Imploraria!

Suplicaria!

Mas que ele engolisse aquela frase.

-Eu vou me casar!
Enquanto ela tentava compreender o significado das palavras cuspidas por ele, um buraco se abriu sobre seus pés. Seu mundo girou e a vida foi sumindo junto com a visão do rosto dele.

Um soco na boca do estômago. A cabeça zumbindo. Respiração rarefeita. A pele queimando.

Catatônica. Estática. Ficou ali. Reduzida em nada.

Enquanto a tarde acabava ele a abandonava naquela mudez sentimental.
Partiu carregando toda a vida e adoração que ela arranjou naquela história.

2 comentários:

  1. Lágrimas escorreram ao ler este post.
    Sem mais.


    http://pulchro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Imagino a dor dela...mas pense numa frase que soa meio hipócrita no momento mas que uma hora pode servir para ela: "...a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional."
    Acho que ela fez tudo o que podia e sentia e só por isso já valeu.

    Saudades de vir aqui te ler!
    Feliz por ter ido lá me ler!

    Beijos.

    ResponderExcluir

  ©Template Blogger Writer II by Dicas Blogger.

SUBIR