terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Não tão escondido

O impacto do que aquela frase significava ainda ressoava no peito dela. E tentava, inutilmente, esconder o que aquilo tudo um dia significou. Procurava esconder tudo no canto mais escuro da alma, pois assim talvez, a antiga vida ilustrada por aquelas palavras rançosas, realmente pudesse ser enterrada na escuridão e esquecida. Sentia que todo o esforço ardia, e que um dia o coração cansado realmente explodiria libertando toda a verdade do “eu te odeio”.

Continue lendo >>

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

No meu imaginario

Ah se eu pudesse decifrar seus segredos invioláveis... Eu quero decifra-los. É uma necessidade urgente. Eu encaro seus olhos e penso se, talvez o meu imaginário coincidisse com a realidade, tudo se resolveria, e eu seria feliz. Pena que minha consciência me induz a acreditar que eu teria uma felicidade tingida de fantasia.

Continue lendo >>

Coleção Particular

Colecionei pessoas a minha vida toda. Estão todas, todas aquelas que passaram pela minha vida, sem exceção de uma, em retratos grudados na parede do quarto e nas marcas causadas pela saudade na borda do meu coração.

Continue lendo >>

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Triângulo

Éramos três. E claro, como componentes de um triângulo, construímos uma área dotada de bons clichês românticos. Eu, ela e ele. Amigos no inicio, amantes e rivais à medida que crescia a cumplicidade. Eu o amei. Ela o amou. E ele, temo que nunca saberei, se e qual amou.

Continue lendo >>

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Olhares

Apesar de toda minha timidez eu encaro os olhos das pessoas com vontade, muita vontade. Firme, como quem quer penetra-los e traduzi-los.
 Focar nos olhos e sustentar o olhar já me acarretou inúmeros problemas e mal entendidos, porem não me importo, sei que tenho uma obsessão por olhares e não me rendo enquanto não mergulho dentro do outro, independente do que isso possa acarretar.  Mas até então nunca encontrei um par de olhos que fizessem minhas pernas bambearem enquanto duelávamos. Até hoje, porque de repente, quase no fim da manhã me deparei com uma imensidão negra, que mesmo sem nome, trouxe um sentimento de deslumbramento completamente novo. Um sentimento que aguça minha obsessão e curiosidade em desvendar toda a verdade daquele ser humano espetacular.

Continue lendo >>

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Prazeres

O cheiro é inebriante. Faz tombar todos os meus sentidos. E me fere profundo quando percebo o quanto me domina. É um desejo incontrolável que nasce do encontro de olhares. Todo prazer é inenarrável, imensurável. É êxtase febril.  Até que chega a despedida trazendo suas dores irreparáveis e novos suspiros de saudades.

Continue lendo >>

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Noites de carnaval

- E dai que de novo é carnaval. Lembra do que aprontávamos?
- Sim. Nosso passado realmente nos condena!
- E de tudo, do que mais tem saudades?
- Das nossas borboletas revoltadas. Que insistiam em experimentar a teoria da paixão de carnaval. 

Continue lendo >>

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Em processo de mudança

Curioso como uma antiga lembrança ou uma antiga conversa é capaz de instigar todo um processo reflexivo. E foi uma dessas antigas lembranças que serviu de gatilho para minhas atuais reflexões.
No meu passado, não muito distante, recordo de uma conversa com uma amiga, na qual eu muito nervosa encerrei com a frase alguns sonhos se perdem pelo caminho. Lembro-me perfeitamente porque a disse, inclusive, me recordo do aperto que senti no peito quando a disse. Enfim, anos passaram-se, e mais uma vez repeti a frase. A repeti mais como tentativa de justificar a situação, ou a minha insatisfação, mas o que vem ao caso é o que essas lembranças estão me proporcionando. A partir delas deu-se toda uma analise critica e reflexiva das minhas ações (no caso, omissões), que me conduziram a essa situação de intensa insatisfação, e mesmo que anteriormente tenha percebido que minha atual posição é consequência direta dessas minhas ações, eu continuei apenas lamentando.
No entanto, como “disse”, tenho percorrido o passado com olhos mais apurados e críticos, e isto tem favorecido minha reorganização mental para inverter esse estado de apatia sufocante no qual me encontro. Assim, contrariando a vontade, expectativas e sonhos de terceiros, venho me posicionando em busca de um respirar aliviado. E o primeiro passo foi dado no momento que troquei a área jurídica por uma nova empreitada. Agora faço o caminho de volta para meus sonhos perdidos, e mesmo sabendo das dificuldades  e da insegurança financeira, sinto um alivio e uma felicidade que nunca experimentei, entende?

Continue lendo >>

  ©Template Blogger Writer II by Dicas Blogger.

SUBIR