segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Coração

Daí que passamos uma boa parte da vida recusando um sentimento. 
Daí que de repente o coração começa a bater mais forte simplesmente por pensar em uma única pessoa. 
Daí que quando caminhamos na rua percebemos a real dimensão disso tudo, porque, nada mais indicativo do que é tudo isso, do que do nada procurar aquela pessoa entre tantas outras. E ainda rir quando se percebe o absurdo disso tudo, mas ainda assim, acreditar que vai vê-la sorrindo entre tantos.  
Daí que é a partir de uma amontoado de coisas e detalhes que caímos na real: é paixão, e das "brabas".
Daí que paramos e pensamos: será que ela também sente? 
Daí começam as inseguranças. 
Daí aumenta o desespero. 
Daí que não há como fugir diante de tanta intensidade e o mair medo é a não receptividade do sentimento. E é aí que reside a justificativa da recusa: vamos evitar a dor? 

Continue lendo >>

  ©Template Blogger Writer II by Dicas Blogger.

SUBIR